A Cultura de DevOps Está em Alta

A Cultura de DevOps Está em Alta

A Cultura de DevOps Está em Alta

Desenvolvimento em Tecnologia utilizando DevOps

O desenvolvimento de aplicações e softwares sempre seguiu um caminho que partia do conhecimento e habilidades dos envolvidos em tecnologia, para os usuários finais. Isso remete ao fato de que a experiência do usuário não era primordial na construção de qualquer tipo de aplicação. Mas isso vem mudando com a cultura de DevOps.

Ao procurar DevOps no Google, você rapidamente encontra a definição da Wikipedia.

DevOps (amálgama de Desenvolvedor e Operações) é uma metodologia de desenvolvimento de software que explora a comunicação, colaboração e integração entre desenvolvedores de software e outros profissionais de TI (Tecnologia da Informação).[1] DevOps é a reação à interdependência entre desenvolvimento de software e operações de TI. Pretende ajudar organizações a produzir software e serviços rapidamente.

Em outras palavras, a cultura DevOps nada mais é que a grande necessidade do trabalho em conjunto de todas as partes no desenvolvimento de tecnologias. E pode-se dizer que nem é mais considerada uma tendência, e sim uma certeza.

Esse tipo de abordagem surgiu da real evolução do usuário e sua consequente necessidade de soluções. Soluções baseadas em sua experiência. Diferentemente do modo passivo como recebia a tecnologia. Hoje, o usuário final entende de tecnologia e rapidamente fornece feedback da utilização da aplicação.

Por isso a necessidade do caminho inverso ao tradicional. É partir do feedback do usuário que as equipes de TI passam a moldar o seu software ou serviço. O caminho segue do final da linha ao início, onde um DevOps é capaz de compreender o feedback fornecido e atuar em sua solução.

O Impacto do DevOps

Toda companhia que deseja lançar alguma solução em tecnologia no mercado, precisa de um DevOps. Alguém capaz de fazer o meio campo entre usuário e desenvolvedor. Essa tarefa exige habilidade e compromisso da equipe em atuar em círculos conjuntos, e não mais em um processo hierárquico de cima para baixo (de desenvolvedor à operação).

Isso afeta diretamente o lançamento de novas aplicações. O que costuma levar um alto índice de estresse de diversas equipes da companhia de tecnologia, agora leva uma suavização da carga com a sinergia entre as partes envolvidas no desenvolvimento. Por atuar em ciclos massivos e rápidos, a responsabilidade é dividida e o trabalho em conjunto começa.

Em uma companhia com essa cultura, as falhas de comunicação são amplamente reduzidas. Um gerenciamento de lançamentos mais robusto é observado, visto que a ponte entre o desenvolvimento e operação é preenchido.

O resultado são aplicações lançadas mais rápidas, com atualizações mais rápidas e com maior qualidade. A interface e experiência se unem em fornecer a melhor solução para companhia e usuário. Desenvolvedor e operador. Equipes globalizadas que reduzem a fenda em sua comunicação e conseguem atender melhor aos seus clientes.

A função de um DevOps propriamente dita, é algo intermediário entre a técnica e gestão. Ele é responsável pela entrega do projeto, mas não é formalmente definido como gerente do projeto. Por possui o conhecimento técnico, ele deve ser capaz de influenciar o gerente de projetos das necessidades.

Ao mesmo tempo, ele deve saber conduzir prazos e custos junto a equipe técnica, de olho na sustentabilidade do projeto. Ele deve ser o agente que faz a ligação das diversas frentes de trabalho, cuidando das necessidades globais da companhia.

Print Friendly